Compartilhe

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn

Como funciona o Monitoramento Inteligente nas empresas

Com atuação preventiva e proativa, o Monitoramento Inteligente identifica potenciais riscos antecipadamente e age assertivamente para evitar que ocorram perdas

Cada empresa tem necessidades específicas de segurança que podem variar devido a diversos fatores, como ramo de atuação, localização, valor dos produtos que comercializa e o quanto eles despertam o interesse de ações criminosas (sejam roubos ou furtos), entre outros.

Seria natural, portanto, que os serviços de monitoramento se adaptassem às particularidades de cada companhia; no entanto, o que observamos é que muitas empresas ainda utilizam “soluções padrões” que acabam não entregando o nível de segurança necessário, se limitando à uma atuação reativa.

De uma maneira geral, podemos listar três classes de risco comuns à todas as empresas:

1 – Risco à Vida das Pessoas

Sejam colaboradores ou clientes, esse é sem dúvida um ponto importantíssimo a ser considerado e por esse motivo é o primeiro a ser mencionado. Aqui temos as situações de risco de assaltos (pensando em operações de varejo e instituições financeiras, por exemplo) e acidentes de trabalho – cujas probabilidades e proporções são diferentes conforme cada caso.

2 – Risco ao Patrimônio

Enquadram-se aqui situações de roubos, furtos, vandalismo, etc. que normalmente são fruto de ações criminosas, mas que infelizmente muitas vezes são praticadas por pessoas com acesso às dependências da empresa.

3 – Risco à Continuidade do Negócio

É a classe mais trágica, que enquadra situações potencialmente capazes de causar prejuízos que impactem o negócio de forma difícil (ou até impossível) de ser retomado devido à extensão da perda.

Leia também: Câmeras de segurança registram imagens de roubo à joalheria em shopping de São Paulo. Poderia ter sido diferente?

O monitoramento inteligente tem como diferencial a atuação preventiva e proativa, identificando potenciais riscos e antecipando as ações necessárias para evitar que se convertam em perda.

Para isso, as imagens das câmeras de segurança são continuamente submetidas à análise de algoritmos capazes de mapear situações de não-conformidade e gerar alertas aos operadores na Central de Monitoramento, que por sua vez acionam os protocolos estabelecidos junto aos gestores de segurança dos clientes – respeitando as particularidades existentes – para alcançar o máximo nível de segurança.

Alguns exemplos do que já vem sendo aplicado:

• Detecção de pessoas em locais de risco, como pedestres em áreas de circulação exclusiva de veículos ou colaboradores muito próximos de fontes geradoras de calor excessivo ou choque elétrico;

• Identificação de quantidade anormal de pessoas em uma imagem, indicando que algo suspeito está acontecendo no local;

• Ausência de EPI’s como capacetes e coletes de segurança em locais onde seu uso é obrigatório;

• Presença de pessoas em locais (ou horários) em que ninguém deveria estar. Isso se aplica desde a proteção perimetral até a presença em locais com produtos de alto valor agregado ou que podem significar uma sabotagem, como um data center ou uma cabine de distribuição de energia.

“Além das inúmeras tecnologias aplicáveis de acordo com cada necessidade específica, é importante ressaltar que todas as ocorrências que geram algum tipo de alerta são analisadas, classificadas e transformadas em métricas, para que o processo seja constantemente reavaliado e melhorias sejam aplicadas no sentido de elevar o nível de segurança de maneira contínua. Esse é o grande benefício do monitoramento inteligente”, relatou Fábio Ribas, Head de Estratégia e Inovação da C4i Inteligência em Segurança.

Como aplicar o Monitoramento Inteligente em uma empresa

O monitoramento inteligente para empresas pode ser aplicado desde escritórios até ambientes industriais.

Com o conceito de monitoramento preventivo e proativo, a empresa C4i, por exemplo, atua no mercado combinando monitoramento inteligente com tecnologia de ponta, dessa forma a empresa consegue identificar potenciais riscos e evitar que uma ação criminosa comece ou seja concluída.

“Conseguimos utilizar a tecnologia já implantada na empresa, como câmeras e controle de acesso, adicionamos nossa inteligência e entregamos um trabalho personalizado sem gastos extras com o projeto de segurança. Assim conseguimos evitar perdas e trazer mais segurança para o local”, explicou Alexandre Chaves, CEO da C4i.

Como funciona o monitoramento inteligente da C4i

Passo 01: As câmeras que a empresa já possui ou novas equipamentos instalados são conectados à Central de Monitoramento 24h da C4i;

Passo 02: As imagens são analisadas pelo sistema, e quando uma anormalidade é detectada pelos robôs da C4i um alerta é emitido para o analista, que avalia a situação e inicia os procedimentos preestabelecidos;

Passo 03: A equipe de segurança local e até mesmo a polícia (dependendo do caso) é acionada e os responsáveis são notificados sobre a ocorrência.

Para saber mais sobre monitoramento inteligente, acesse: www.c4i.com.br

Leia também: O que você precisa saber antes de contratar uma empresa de monitoramento